Curso "UBUNTU: Construindo Pontes Entre Vidas"

cartaz

9–11 e 16–18 Março, 2017 || Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa || Org. University of Lisbon Centre for English Studies, IPAV & Vidas Ubuntu

Formadoras: Carolina Tomaz (IPAV/Projecto Vidas Ubuntu), Eugénia Quaresma (Projecto Vidas Ubuntu), Paula Horta (Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa/University of Lisbon Centre for English Studies)

+info: www.ulices.org || Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.— em Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Duração: 18 horas presenciais + 10 horas de trabalho autónomo Creditação: 1 ECTS

Horário:

16–18 e 9–10 de Março: 18h30 – 21h30
11 de Março: 10h –13h
16–17 de Março: 18h30 – 21h30
18 de Março: 10h –13h

Resumo: Alicerçado no conceito ubuntu, comummente definido como humanidade africana, uma filosofia, ética ou uma visão do mundo, fomentado na África do Sul durante a transição do apartheid para a democracia, esta oficina examina a aplicação da filosofia ubuntu ao ensino formal.

Partir-se-á da experiência e resultados da primeira edição do projecto Vidas Ubuntu, concretizado em instituições educativas nacionais, para explorar as potencialidades da filosofia ubuntu, aliada à metodologia de storytelling, utilizada em contexto anglófono, no desenvolvimento pessoal e profissional.

A oficina destina-se a agentes de educação.

Formadores: Carolina Tomaz (IPAV/Projecto Vidas Ubuntu), Eugénia Quaresma (Projecto Vidas Ubuntu), Paula Horta (FLUL/CEAUL)

Coordenação Científica: Direcção do CEAUL (Teresa Cid, Alcinda Pinheiro de Sousa, Teresa Casal e Rita Queiroz de Barros)

Inscrição: 30€ público geral | 20€ estudantes | 25€ docentes e funcionários FLUL

Síntese dos conteúdos programáticos do Curso:

Sessão 1: Ubuntu e uma humanidade comum na Comissão da Verdade e da Reconciliação da África do Sul

A filosofia ubuntu no processo da Comissão da Verdade e da Reconciliação;
A metodologia de histórias de vida aplicada pela Comissão da Verdade e da Reconciliação;
Problematização do conceito ubuntu.

Sessão 2: Ubuntu e Levinas: Para uma Ética no Olhar o Outro

A experiência de acolhimento do Outro;
A filosofia da alteridade de Emmanuel Levinas;
A fenomenologia do rosto;
A responsabilidade ética perante o Outro;
Articulação da filosofia ubuntu com o pensamento levinasiano.

Sessão 3

Apresentação do projeto Vidas Ubuntu;
Introdução ao storytelling;
Testemunho de História de vida;
Círculo de histórias (partilha das histórias em pequenos grupos).

Sessão 4

Escrita da história/ construção do guião;
Seleção de imagens;
Gravação de voz-off;
Escolha da banda sonora.

Sessão 5

Edição do vídeo no programa Windows Live Movie Maker.

Sessão 6

Visualização das histórias;
Reflexão final;
Avaliação.

Notas Biográficas:

Carolina Homem O'Neill Tomaz licenciou-se em Audiovisual e Multimédia na Escola Superior de Comunicação Social e fez mestrado em Produção e Direcção Artística Cinematográfica na Escola Superior de Cinema e Audiovisuais da Catalunha. É apaixonada pelas várias formas de expressão artística e em trabalhar com pessoas e, por isso, durante 2 anos desenvolveu voluntariamente workshops de expressão plástica com crianças do bairro do Pragal, em Almada. Em 2010 entrou para a Win World, uma inspiradora empresa de eventos onde trabalhou na área de criatividade e design. Em 2014 começou a colaborar no Inst. Padre António Vieira enquanto gestora do projeto Vidas Ubuntu. Neste momento coordena a 2ª edição deste projecto. | Eugénia Costa Quaresma é licenciada em Psicopedagogia Curativa, com especialização em teorias e técnicas psicopedagógicas e grupos operativos. Iniciou funções na Obra Católica Portuguesa de Migrações (OCPM) em 2001 como coordenadora do Serviço Psicossocial, em 2007 como directora adjunta e desde novembro de 2014 que é directora do Secretariado Nacional da Mobilidade Humana e da Obra Católica Portuguesa de Migrações. Desde de Dezembro de 2014 que colabora no Projecto Vidas Ubuntu, promovido pelo IPAV (Instituto Padre António Vieira), como formadora. | Paula Horta é doutorada em Estudos Culturais pela Goldsmiths College, University of London. A sua tese de doutoramento, intitulada “Portrait and Documentary Photography in Post-Apartheid South Africa: (hi)stories of past and present”, teve enfoque no processo da verdade e da reconciliação, bem como na transição do regime politico do apartheid para a democracia. Tem prosseguido investigação sobre representação visual, ubuntu, perdão, reconciliação e violência na África do Sul do pós apartheid.

Inscrição:

Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.